Oops! It appears that you have disabled your Javascript. In order for you to see this page as it is meant to appear, we ask that you please re-enable your Javascript!

Barbo

Ordem: Cypriniformes
Família: Cyprinidae
Género: Trachurus
Espécie: Barbus bocagei

Espécie: O barbo comum ibérico (Barbus bocagei) é uma espécie de peixe ciprínido endémico da península Ibérica. Habita nas bacias dos rios Tejo, Douro, Vouga e Mondego.

Morfologia: Espécie de tamanho médio (

Habitat: O Barbo-comum ocorre nos troços médios e inferiores dos rios ocupa o fundo (bentónico) e prefere zonas com pouca ou moderada velocidade de corrente (excepto na época de reprodução). O habitat preferido apresenta áreas com elevada cobertura ripária de cursos de água permanentes com marcadas caracteristicas lóticas (com correntezas) e reduzida instabilidade hídrica. O barbo-comum tem preferência por troços mais profundos, com mais oxigénio e substrato fino. Os juvenis ocorrem em zonas com alguma profundidade, próximas da margem e sem corrente, evitando habitats com muita cobertura arbórea. Esta espécie é um nadador activo com grande capacidade de deslocação. Altitude máxima observada 450m. Ocorre nas zonas mais profundas das barragens.

Habitat reprodução: Na época de reprodução realiza migrações para montante surgindo em zonas de corrente rápida, e boa oxigenação, sobre fundos de areia ou cascalho.

Época de reprodução: Entre Abril a Junho. Fevereiro a Junho (Mondego e Tejo); Segura: Maio a Julho.

Alimentação: O barbo-comum apresenta uma alimentação generalista e oportunista. Alimenta-se principalmente de material vegetal (plantas e algas filamentosas) e larvas de insectos aquáticos. Dentro os insectos aquáticos incluem-se as larvas de dipteros (quironomídeos e simulídeos), efemerópteros (caenídeos), plecópteros, coleópteros, hemípteros, moluscos, ácaros e tricópteros (hidropsiquídeos). Ocasionalmente ingere areia, cladóceros, insectos terrestres (formicídeos) e sementes. Os peixes de maiores dimensões alimentam-se mais de material vegetal e ocasionalmente de outros peixes. Em barragens alimenta-se principalmente de larvas de dipteros, detritos e crustáceos planctónicos e algumas algas filamentosas.

Longevidade: 13 anos

Periodo de pesca permitido: 1 de Junho a 14 de Março
Tamanho minímo de captura: 20cm

Comentários

comentários

Deixar comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *