Pesca ao Robalo

O robalo é o grande predador do nosso litoral continental, estando presente nas águas que varrem pela ondulação as longas praias arenosas com declive suave bem como nas zonas rochosas onde a agitação do mar também produz “águas brancas”, bem oxigenadas tão do agrado deste predador.

Considerado um peixe extraordinário e imprevisível, o robalo alterna a voracidade com a desconfiança e o desinteresse pelos iscos e amostras o que leva a que a sua pesca seja encarada com paixão e entusiasmo, podendo esta considerar-se por vezes um verdadeiro desafio.

O robalo está para o mar como o salmão está para o rio, com nobreza e dignidade idênticas, sendo o rei da nossa costa.
Podemos considerar quantos se dedicam com êxito à sua pesca, detentores de conhecimento e experiência duramente adquirida, pois trata-se de um peixe talhado para a luta e a caça, não admitindo na sua pesca tibiezas, exigindo sim reflexão e conhecimento do meio marinho.
É comum ouvir-se falar dos segredos que os pescadores de robalo guardam para si e para os seus mais próximos companheiros e amigos contudo, parte do que se pensa serem esses segredos, não são mais do que uma correcta utilização dos equipamentos: Canas, carretos, linhas, montagens, amostras, etc., cuja evolução tem sido grande e permanente em todas as técnicas de pesca, com Buldo ao Surf-Casting, passando obviamente pelo Spinning, que aliado à boa escolha dos locais e ao conhecimento intrínseco da espécie, podem conduzir a resultados interessantes.

O robalo é desde a Antiguidade Clássica um peixe muito apreciado, por todos os seus atributos em que se inclui o gastronómico.
É sentimento praticamente generalizado que os peixes em geral estão cada vez mais desconfiados e difíceis de enganar. Ora uma vez que os predadores são talvez os peixes mais inteligentes, que usam todos os seus sentidos na detecção das presas e na decisão final de as atacar ou ignorar, é fundamental que o pescador em acção de pesca mantenha uma atitude de absoluta concentração, apresentando as amostras e iscos correctamente.

No caso das amostras, é fundamental serem bem trabalhadas, com convicção e segurança, pois caso contrário perderão toda a sua atractividade, permanecendo o peixe indiferente.

As técnicas de pescar o robalo são numerosas, algumas aplicáveis também a outros peixes, com a pesca à bóia, pesca com chumbadinha, surf-casting, pesca à pluma, buldo (bóia de água) e spinning.

Há ainda a considerar aquilo a que podemos chamar “regionalismos”, pois quase todas as zonas costeiras possuem a sua forma típica de pesca, que no entanto será em principio válida em outros locais.

Na pesca em geral, e nomeadamente na do robalo, as condições meteorológicas, o estado do mar, a hora do dia, a altura das marés em função das fases da Lua, tudo é importante.

Como em tudo na vida e também na pesca, é a experiência e a forma como estamos apetrechados para enfrentar as dificuldades o principal argumento para o êxito.

Comentários

comentários

Deixar comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *